Quando a criança explora um objeto, ela trabalha com todos os órgãos do sentido. De acordo com a teoria piagetiana, que divide em quatro estágios o desenvolvimento humano, até os dois anos de idade ( fase sensório - motor :  Desenvolvimento inicial das coordenações e relações de ordem entre ações, início de diferenciação entre o próprio corpo e os objetos; aos 18 meses, mais ou menos, constituição da função simbólica. No estágio sensório-motor o campo da inteligência aplica-se a situações e ações concretas.), é comum levar tudo à boca. Momento que requer muita atenção e cuidados por parte dos adultos.
Ainda nesse mesmo período entre os dois e quatro anos, a criança manipula o que pega, apertando, chacoalhando, jogando; utilizando os recursos motores que dispõe.
A criança brinca o tempo todo, é assim que se comunica com o mundo; e o faz espontaneamente.
Mais tarde, dos quatro aos sete anos, na fase pré-operatória (fase marcada pelo aparecimento da função simbólica ou semiótica, ou seja, é a emergência da linguagem ), a criança começa a recriar, criar à sua maneira o que vê, ela interpreta a realidade através dos objetos, dos brinquedos. Começa a fazer esculturas, imaginar personagens. É nesses momentos que o lúdico estabelece uma estreita relação com o aprendizado. É aí que a participação do adulto se faz mais importante ainda, pois é ele quem deve propor situações para que invente objetos, invente palavras, invente histórias, invente regras, invente soluções, invente finais, invente...invente....invente.... E como é gostoso brincar junto!!!!!! Penetrar no mundinho da fantasia das crianças é uma experiência fantástica!!!!!! Marca para todos que se envolvem: crianças e adultos. Ficará como um registro definitivo na memória.... É claro que não é preciso estar participando o tempo todo. Brincar sozinho também é importante. E observando-as assim, passarem por um portal onde vivenciam detalhadamente o instante da fantasia. É quase como um estado de delírio... Dessa forma, lidam com seus medos, desejos. Expressam atitudes de carinho e repreensão. Forma catártica de manifestar o que está dentro do seu inconsciente. Em grupo, vivenciam relações sociais, limites, regras, exploram a comunicação... Sem saber, estão trabalhando naturalmente suas potencialidades motoras, cognitivas, estâncias psíquicas e sociabilização.
Quanto a Internet, é preciso a mediação do adulto.Esse é um recurso potencialmente rico em jogos e atividades pedagógicas, o que é muito valioso. Também possibilita uma melhor comunicação à criança tímida, através do virtual. Mas é preciso , repito, a supervisão e orientação adulta.
Por tudo isso, não acho justo abreviar as horas do brincar, seja nas escolas como em casa. A brincadeira constitui um rico instrumento (na vida de todo ser humano), potencializando o aprendizado em todas as esferas. É um recurso motivador, criativo, agregador... Todos precisam brincar: crianças, pais, professores. Brincando se transmite valores, se corrige...
Por mais antagônico que possa parecer, é brincando que se aprende a levar a vida à sério. 
Com carinho,
Kátia


5 Deixe aqui seu comentário:

Atena disse...

Concordo cem por cento.
Eu brinquei de boneca até os 14 anos. rsrs Já arriscava uns olhares aos rapazes, mas chegando em casa gostava da companhia de minhas bonecas.
Considero o mundo de fantasia da criança um pré-requisito para a futura criatividade do adulto, daí sua importância.
beijos

BrunoBlog disse...

Felizes são os que tem a oportunidade de se desenvolver bem na infância... Pena que nem todo mundo tem condições de prover o que é necessário pra o pleno desenvolvimento delas.

Luiz Scalercio disse...

concordo com o Bruno que ele disse .
pena que tem gente que não teve essas
oportunidade dessa.
um abraço.

LeMarc disse...

Cada vez mais cedo as crianças estão indo à escola. Acho um desperdício. Criança precisa brincar, se socializar. Se tiver isso em casa, no seu dia a dia, a escola pode e deve espera um pouco mais.
Abraço, Katia!

LeMarc

ana luiza disse...

concordo totalmente! a criança precisa brincar, isso ajuda muito no desenvolvimento delas. Eu como mãe e pediatra, incentivo muito os brinquedos educativos para meus pequenos e compro online (http://www.tricae.com.br/brinquedos/) já que não tenho muito tempo para ir em shoppings. Adorei o post, vou acompanhar aqui.
Bjs!!