O importante nesta questão , é se ter a meta em mente: O que posso fazer para meu filho ou aluno, desenvolver-se tanto na área  pedagógica como educacional?. Ele é meu foco.
Para começar, o relacionamento entre os responsáveis, deve ser estável e de muito respeito .
Deve-se manter um constante diálogo sobre todas as questões que envolvem a criança.
Qualquer mudança em sua rotina familiar, deve ser comunicada à escola.
Assim como qualquer "novidade" observada no dia a dia escolar, deve ser, da mesma forma, comunicada  à família. A troca dessas informações , pode evitar situações desagradáveis e surpresas desnecessárias. É fundamental que a criança sinta a existência de um elo respeitoso e integrado, entre família e escola. Dessa forma, ela também respeitará ambas instituições, ainda que venha a esboçar momentos de rebeldia comuns em cada fase etária.
Para a especialista Isa Stoeber, "existe hoje uma confusão acerca dos limites pedagógicos e educacionais. Por um lado, a escola acha que os pais estão delegando obrigações demais para a instituição (ensinar, educar, formar caráter); por outro, os pais reclamam que a escola não cumpre seu papel como deveria. O que muitos não percebem é que a relação deve ser de parceria e de cumplicidade, e as reuniões de pais e mestres têm a função de mostrar que isso é possível, chamando os pais para participarem e dividirem responsabilidades, lembrando que a formação em casa complementa a da escola e vice-versa. É função dos pais dar bons exemplos, estimular a criança a ler, mostrar a importância de ela cumprir com seus compromissos, entre muitas outras. "Os professores devem aproveitar as reuniões para explicar às famílias como elas podem estimular as crianças, ajudá-las nas pesquisas, com o dever de casa, mas sem, é claro, assumir completamente essas tarefas", esclarece Fernanda Flores, coordenadora pedagógica da Escola da Vila, de São Paulo. Trabalhar em parceria - com cada um desempenhando o seu papel - é, ainda, essencial para a criança se sentir amparada e assistida." (texto de Cynthia Costa em Educar para crescer).Muitas escolas, percebendo a dificuldade das famílias para lidarem com certos comportamentos dos filhos típicos da idade, aproveitam as reuniões de pais para promover palestras esclarecedoras. Com isso, a presença nesses eventos se torna ainda mais imprescindível. Quando se tem conhecimento, se consegue ajudar de forma mais eficiente.  "A escola é um espaço capaz de abrir esses canais de debate e entendimento", acredita a professora Carmem Galluzzi.( do mesmo artigo)
Construindo uma aliança, estaremos todos nos educando: Pais, filhos e professores. Com humildade, temos que nos colocar frente às nossas inseguranças, medos, dúvidas e , buscarmos juntos, soluções para atingirmos a nossa meta: "O que  fazer para que meu filho ou aluno,  possa se desenvolver, tanto na área pedagógica como educacional". Isso só ocorrerá de forma adequada e natural, se trabalharmos unidos!


Kátia

5 Deixe aqui seu comentário:

Dú Pirollo disse...

Olá minha querida amiga Ká, boa noite!!!
Minha amiga, acho que todos tem a sua importância fundamental na educação das crianças, os pais são o alicerce, a base solida da educação e personalidade, os professores a construção, a engenharia e aprimoramento no conhecimento e formação intelectual... Um complemente o outro.
Parabéns pela excelente postagem, adorei!
Tenha uma linda e abençoada noite!
Beijos com carinho e muita paz!!!

Nestor - Segurança do Trabalho nwn disse...

Kátia
vejo essa situação da mesma forma que você. Tempos atrás até escreví uma mensagem que ia enviar a todos os meus contados de Email, chamando atenção para esse inversão de responsabilidade que os pais passivamente estão deixando que ocorram hoje em dia, por pensar que iam se chatear comigo acabei não enviando a mensagem, e depois a perdi... Os pais tem que vestir a camisa dos filhos, educação tem que ser dada em casa, não podemos delegar isso as babás, professores, pastores, tias, ou seja lá quem for. Educação é uma responsabilidade intransferível, só diz respeito aos pais. Como pode alguém deixar a educação dos filhos a outros... Francamente isso não é certo!!!
Abraços!

marcelooo disse...

Muito boa sua abordagem! Parabéns pelo post. Bom como os demais colegas disseram, penso que tudo começa em casa! Depois vamos passando pelos estágios sucessivos da vida! Educação começa em CASA. Grande abraço e um excelente final de semana pra você e toda sua família!

Zilani Célia disse...

OI KÁTIA!
OS PAIS DE HOJE DEVERIAM SE VALER DA ESCOLA,COMO UMA PARCEIRA DA EDUCAÇÃO DAS CRIANÇAS, JUSTAMENTE PELA VIDA ATRIBULADA QUE LEVAM HOJE EM DIA. COM ESTA PARCERIA SERÁ POSSÍVEL EDUCAR PEDAGÓGICAMENTE, MAS TAMBÉM FORMAR CIDADÃOS, DIGNOS E RESPONSÁVEIS.
http://zilanicelia.blogspot.com/
ABRÇS

Cecilia sfalsin disse...

Kátia minha querida,
Eis a questão, pais, filhos ou educadores,isto é um assunto que muito me incomoda,e levanta uma certa polêmica.Esta semana acompanhei uma reportagem onde uma pedagoga de 40 anos de profissão chamou a policia para uma criança de 3 anos por ele ter agredido a professora com ponta pés e a professora ao segurá lo o feriu com unhadas.nas reportagem aparecia a criança cercado de dos militares,segundo a pedagoga na entrevista disse chamar a polícia pela situação,e não para a criança como julgavam, algo que gerou conflitos.Agora pergunto,o que leva uma criança de 3 anos agredir uma professora ao ponto de ter que chamar a polícia?Será o mas formação de professora?ou a ma educação dos pais?é algo complicado, mas o teu texto é instrutivo quanto a esta e outras questões que envolvem a educação e a criança,o relacionamento e o respeito entre pais,alunos e professores é o alicerce para um bom desenvolvimento educacional,e se torna muito verdadeiro no que diz construindo uma aliança estaremos todos nos educando e acredito nisto.

Beijos